Código: 208

A Economia Política do Etanol

Bookmark and Share

Referência: 978-85-7939-046-3


De R$ 44,00
Por:
R$ 35,20
Economize  R$ 8,80

ou 3x sem Tarifa de R$ 11,73
 
Simulador de Frete
- Calcular frete

A economia política do etanol

A democratização da agroenergia e o impacto da mudança do modelo econômico

 O Brasil e pioneiro na produção do etanol como biocombustivel. Durante estes ultimos trinta anos consolidou-se um modelo de produção com acentuado grau de oligopolização do segmento sucroalcooleiro. Por outro lado, com o avanço da consciencia ambiental e  a  necessidade de diversificar a matriz energética em todo o planeta é assunto presente nas discussões sobre sustentabilidade ambiental e mudança climática, ainda mais premente com as perspectivas de esgotabilidade do petróleo.     

Em todo o mundo, estudiosos têm reconhecido nas mudanças por que o planeta passa, com o esgotamento do atual sistema de produção, uma oportunidade para o Brasil, que tem estado à frente da tecnologia de produção de uma fonte renovável – e, com o devido manejo, limpa –, o etanol.                                               

A partir desse cenário global, A Economia política do etanol  parte para um histórico particular, o do panorama da realidade das políticas e da produção do etanol no Brasil nas últimas três décadas, seus descaminhos e consequências, com uma abordagem, contudo, tanto politica como economica.                                                

Fernando Safatle enriquece o debate ao não apenas apontar causas e efeitos dessa atual conjuntura, mas também apresentar propostas e projeções sobre os possíveis impactos econômicos e sociais de ações estratégicas, sejam mudanças na legislação ou, como propõe, a criação de um programa de microdestilarias.                            

Essas reflexões mostram como a economia brasileira poderia ganhar com políticas capazes de democratizar e desconcentrar a produção do etanol – e, consequentemente da agroenergia em geral –, impactando o desenvolvimento regional e influindo nos padrões de distribuição de renda do País. Ainda, não deixa de considerar o forte impacto que poderia provocar na geopolitica mundial tendo o Brasil como protagonista na produção de uma fonte de energia limpa, com inserção social dos pequenos e medios produtores e ambientalmente sustentavel.

Sobre o Autor: Fernando Netto Safatle é economista, iniciando o curso de Ciências Econômicas na PUC de São Paulo e tendo o concluído na UnB. Esteve no Chile na época de Salvador Allende, quando iniciou curso de mestrado em economia na Escolatina. Trabalhou no IPEA durante 25 anos como Técnico em Pesquisa e Planejamento. Foi Secretario do Planejamento e Coordenação do Estado de Goiás no governo Santillo, Vice-Presidente da Funasa de 1995 a 1999 e Coordenador da Região Integrada do Desenvolvimento do Entorno de Brasília (RIDE) durante o primeiro governo de Lula. Anistiado, é ex-militante da ALN, participou da luta revolucionária nos anos 1960 e, hoje, exerce atividade como produtor rural produzindo etanol em uma microdestilaria no interior goiano, em Catalão. Colabora como articulista no jornal Diário da Manhã de Goiás.

Deixe seu comentário e sua avaliação


Características