Código: 802

Capoeiras e valentões na história de São Paulo (1830-1930)

Bookmark and Share

Referência: 9788579392368


Por:
R$ 59,00

ou 3x sem Tarifa de R$ 19,67
 
Simulador de Frete
- Calcular frete

A capoeira hoje é uma arte marcial praticada no mundo inteiro por milhões de pessoas. Porém, sua história ainda é repleta de lacunas.

Este livro surgiu do interesse do autor, praticante dessa arte marcial há mais de 15 anos, em preencher uma dessas lacunas. O resultado, no entanto, foi além do esperado. Ao tentar entender melhor o desenvolvimento da capoeira em território paulista, Pedro Cunha desvelou facetas desconhecidas da própria história de São Paulo.

A partir de fontes variadas como jornais, cartas, ofícios e leis, o autor cruzou a prática da capoeira com os mais variados temas, dentro de um período próximo a 100 anos.

Nas páginas deste livro, os leitores ficarão sabendo, por exemplo, do envolvimento de professores e estudantes da tradicional Faculdade de Direito de São Paulo com valentões da capital paulista. Também terão uma visão mais clara da participação popular no movimento abolicionista que se espalhou pela província. Da mesma forma, conhecerão um pouco mais do processo que deu origem a escolas de samba e times de futebol paulistanos.

Para os praticantes de capoeira, especificamente, esta obra é uma oportunidade para repensar algumas “verdades” construídas ao longo dos anos sem uma base documental sólida.

Por muito tempo, a história dessa arte marcial afro-brasileira se limitou ao eixo Salvador-Rio de Janeiro. Em terreno soteropolitano, foi preservada nas escolas formadas por mestres antigos e seus discípulos. No Rio de Janeiro, manteve-se viva em meio à malandragem da boemia carioca.

Os primeiros estudos sobre a capoeira seguiram essas pistas, resultando em trabalhos de um lado mais etnográficos e, de outro, mais ligados à capoeira enquanto contravenção ou crime. Nos últimos anos, novas pesquisas revelaram a existência da capoeira ou de práticas similares em outras partes do Brasil. Porém, os focos permaneceram na apresentação de detalhes da prática ou números relativos a prisões.

 

Sobre o autor: Pedro Figueiredo Alves da Cunha se formou em Comunicação Social na Universidade Católica de Santos (UniSantos) e aprendeu capoeira com mestre Ribas (Grupo Capoeira Santista). Trabalhou no jornalismo diário por cerca de dez anos, deixando as redações para se dedicar à pesquisa de mestrado desenvolvida junto à Universidade de São Paulo (USP). Hoje é editor de conteúdo digital da editora IBEP.

Deixe seu comentário e sua avaliação


Características