Código: 1681

Guerra Fria e Brasil, de Elizabeth Cancelli, Gustavo Mesquita e Wanderson Chaves

Bookmark and Share

Marca: Alameda Modelo: 2020 Referência: 9788579396267


De R$ 50,00
Por:
R$ 40,00
Economize  R$ 10,00

ou 3x de R$ 13,87 com juros
 
Simulador de Frete
- Calcular frete

Para a agenda de integração do negro na sociedade de classes

Este livro foi concebido pelo esforço conjunto de três historiadores preocupados em identificar, a partir dos marcos iniciais de interpretação solidificados pelas Ciências Sociais, a agenda antirracista. Eles seguem, ao longo de suas pesquisas, os rastros de ampliação desta agenda que informará as orientações políticas e acadêmicas antirracistas ao longo das décadas de 1950, 1960 e 1970. Este rastreamento historiográfico mostra como foram construídas as balizas para o esforço de “inserção do negro na sociedade de classes”.

Os autores, valendo-se de fontes originais e de farta literatura produzida no Brasil e no exterior, desnudam como a disciplina das Ciências Sociais foi tida como capaz de identificar os pontos essenciais do problema de exclusão do negro e apontar caminhos para a promoção de mudanças sociais, mudanças essas consideradas fundamentais na Guerra Fria para a luta travada contra o perigo totalitário. Trata-se, como poderá ser constatado ao longo da leitura dos três capítulos, intimamente articulados, que compõem este livro, de uma agenda internacional, na qual a “integração do negro na sociedade de classes” constituiu-se como amarra fundamental e que, no Brasil, contou com a relevante contribuição acadêmica de um dos mais respeitados e sérios intelectuais das Ciências Sociais: o sociólogo Florestan Fernandes.

Sobre os autores: 

Elizabeth Cancelli é professora livre-docente do Departamento de História da Universidade de São Paulo e autora de vários artigos e livros, entre eles O Brasil e os outros: o poder das ideias (EdiPUCRS, 2012) e O Brasil na Guerra Fria Cultural: o pós-guerra em releitura (Intermeios, entre[H]istória, 2017).


Gustavo Mesquita é doutor em História Social pela Universidade de São Paulo. Foi pesquisador associado do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, atuando no projeto do Relatório Brasil para a Convenção Internacional sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Racial – ONU. É autor de Gilberto Freyre e o Estado Novo: região, nação e modernidade (Global, 2018).


Wanderson Chaves é historiador e pesquisador associado da Universidade de São Paulo. Bacharel em Antropologia e mestre em Ciências Sociais pela Universidade de Brasília. Doutor em História Social pela USP, é autor de A questão negra: a Fundação Ford e a Guerra Fria (1950-1970) (Prismas, 2018).

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.

Características


  • Medida: Altura: 01cm, Largura: 14cm, Comprimento: 21cm
  • Páginas: 272 páginas
  • Peso: 350 gramas