Código: 1484

Liturgia da Pedra

Bookmark and Share

Referência: 9788579394867


Por:
R$ 48,00

ou 3x de R$ 16,00 sem Tarifa
 
Simulador de Frete
- Calcular frete

Negro amor de rendas brancas

Comparações entre o poema O padre, A moça, de Carlos Drummond de Andrade, e o filme O padre e a moça, de Joaquim Pedro de Andrade

A descrição do amor, em “O padre, a moça”, plenamente realizado, acontece concomitante à morte (ainda que Joaquim Pedro desloque o momento em que a câmera se detém sobre o encontro – pele, rosto, luz – para um ponto anterior, com efeito ligeiramente diverso). De todo modo, na película como no poema o amor é triunfante, ainda que rodeado pela morte, e parte do seu triunfo se dá, no filme de Joaquim Pedro, pelo fato de que ele funciona, numa de suas faces, por oposição ao espaço escuro, de opressão e estagnação, da cidade de que se evadiram; é uma fuga, é uma saída (na morte/gozo), daquele estado de coisas.

“Que coros tão ardentes se desatam/ em feixes de inefável claridade? (...) Que fumo de suave sacrifício/ lhes afaga as narinas?/ Que santidade súbita lhes corta/ a respiração, com visitá-los?/ Que esvair-se de males, que desfal/ ecimentos teresinos?/ Que sensação de vida triunfante/ no empalidecer de humano sopro contingente?”

Meire Oliveira perseguiu essa história e a forma concreta que lhe dá vertebração e consistência no poema e no filme, realizando um trabalho que contribui (pelo próprio método – amplo e investigativo – de que lança mão), aos estudos comparativos de cinema e literatura.

Betina Bischof

Deixe seu comentário e sua avaliação


Características