Código: 1012

Música e civilização – A atividade musical no Rio de Janeiro oitentista (1808-1863)

Bookmark and Share

Referência: 978-85-7939-266-5


Por:
R$ 54,00

ou 3x sem Tarifa de R$ 18,00
 
Simulador de Frete
- Calcular frete

Música e Civilização

Atividade musical no Rio de Janeiro Oitentista (1808-1863)

 

            Poucos são, ainda, os estudos sobre a música erudita produzida e consumida no Brasil ao longo do oitocentos, período de construção daquilo que passamos a denominar cultura brasileira. Em um país há décadas inebriado por um quase culto do denominado nacional-popular, parece certo que diminuto foi o lugar ocupado no nosso processo de formação cultural por um gênero tomado a partida como restrito à elite e, de algum modo, estranho a uma suposta brasilidade.

 

            Música e civilização, de Renato A. Mainente mostra que as coisas não são tão simples como fazem parecer as análises apressadas e, por vezes, anacrônicas. Interrogando a crítica e o teatro produzido encenado no país entre o desembarque de D. João VI, em 1808, e o segundo quartel do século XIX, Mainente apresenta ao leitor uma perspectiva renovada da incipiente, mas importante ópera nacional, uma instituição patriótica e utilíssima (...), uma instituição que abre caminho, e oferece futuro a todos os bons artistas – como escreveu um contemporâneo, Joaquim Manuel de Macedo.

 

            À medida que percorremos as páginas do seu estudo – em que tomamos contato com o quanto se encenou nos palcos cariocas, com o interesse que o público tinha pelas críticas aos espetáculos veiculadas na imprensa e, sobretudo, com o constante empenho dos homens de cultura instalados na corte para criar um teatro lírico brasileiro –, surpreendemo-nos com a enorme importância e impacto do gênero na sociedade carioca oitocentista e com o papel extremamente relevante que desempenhou naqueles esforços de construção de uma cultura e de um povo – um povo civilizado, como então se dizia – que pudessem ser qualificados como verdadeiramente nacionais.

Jean Marcel Carvalho Franca

Professor do Departamento de História da

Universidade Estadual Paulista, campus Franca.

 

Sobre o autor: Renato Aurélio Mainente possui graduação em História e Mestrado em História e Cultura Social pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Atualmente é doutorando na mesma universidade, desenvolvendo pesquisa sobre o teatro no Rio de Janeiro oitocentista.

Deixe seu comentário e sua avaliação


Características