Código: 820

O cineasta historiador

Bookmark and Share

Referência: 9788579391989


Por:
R$ 48,00

ou 3x sem Tarifa de R$ 16,00
 
Simulador de Frete
- Calcular frete

O humor entrou na moda: rimos de tudo, rimos cada vez mais e isto mostra que o humor é uma espécie em extinção. Eis um dos muitos paradoxos de nossa época, os códigos humorísticos disseminaram-se de tal forma que não sabemos mais definir o que é o humor.

 

Nesta era do divertimento acelerado, o humor firmou-se na base da extravagância gratuita, trivializado pela embriaguez dos refletores ou pela ligeireza do slogan. Décadas atrás, Gilles Lipovetsky já nos advertia: quanto mais humorísticas se tornam nossas sociedades mais elas manifestam o seu medo pela extinção do riso.

 

Escrito por uma pesquisadora arguta e sensível, este é um livro que se aventura nas sendas ainda praticamente inexploradas do humor negro. Ampliando a pesquisa do seu livro anterior, Rosane Pavam investiga a presença desta imprecisa modalidade de humor na filmografia do cineasta paulistano Ugo Giorgetti, especialmente em Sábado, uma comédia de 1994. Roteirizado no formato quase à clef do Edifício Martinelli – um documentário produzido ainda em 1975 por Giorgetti. O personagem central de Sábado é o Edifício das Américas, o qual oscila naquela espécie de gangorra entre o cômico e o trágico.

 

Desviando-se, contudo, da categoria do humor negro, a autora redescobre na sua pesquisa outra modalidade de humor, o humor frio – assim definido porque “parece jogar água sobre a fervura do contentamento e do senso de libertação, reação que se seguem às boas piadas.” Pelas sendas tortuosas do humor frio, Rosane nos mostra que o edifício de Giorgetti é uma metáfora microcósmica da história de São Paulo e do Brasil.

 

                                                                                                                                                                             Elias Thomé Saliba

 

Sobre o autor: Rosane Pavam é pesquisadora em História Social na Universidade de São Paulo e atua na imprensa cultural brasileira desde o final da década de 1980. Hoje editora de Cultura da revista Carta Capital, atuou na criação da revista Animal (VHD), editou o Relato Biográfico de Akira Kurosawa (Estação Liberdade), traduziu contos de Jack London em volume da série Para Gostar de Ler (Ática) e, em seus textos críticos na imprensa, analisou o cinema, a literatura, a fotografia a e as artes. É autora de O Sonho Intacto, depoimento biográfico do diretor Ugo Giorgetti (Imprensa Oficial).

Deixe seu comentário e sua avaliação


Características