Código: 1102

Historiografia, morte e imaginário

Bookmark and Share

Referência: 9 788579 394638


Por:
R$ 38,00

ou 3x sem Tarifa de R$ 12,67
 
Simulador de Frete
- Calcular frete

A primeira parte deste livro analisa obras historiográficas que tratam do tema da morte aproximando-se de um enfoque no imaginário, nas formas de racionalidade e sensibilidades políticas. Obras como as de Jean-Pierre Vernant, François Hartog, Nicole Loraux, Jean-Claude Bonnet, Reinhart Koselleck, Fernando Catroga, Emmanuel Fureix e Jacques Julliard tornam-se relevantes para pensar a historiografia como forma de dar sentido ao passado uma vez que tematizarem condicionantes fundamentais da vida humana, relacionando a morte com uma análise do fenômeno do poder.

Por meio desses estudos, é possível refletir não apenas sobre o sentido existencial que faz da historiografia parte do esforço de eternização inscrito na memória, mas também sobre suas fundamentações epistemológicas, que a tornam integrante de regimes de verdade marcados por critérios mais ou menos acentuados em termos de exigências de racionalidade discursiva.

Estabelecendo um diálogo entre a historiografia e enfoques provenientes da antropologia, da filosofia política e da teoria literária, a segunda parte desde livro permite problematizar uma forma determinada de compreensão das relações entre os temas do poder, do imaginário e da representação histórica, conduzindo à interrogação que estrutura o livro: seria possível pensar a historiografia como condicionada pela relação entre uma “poética da ausência” (Catroga) e uma “poética do saber” (Rancière)?

 

Sobre o autor: Douglas Attila Marcelino é professor de Teoria da História/Historiografia na UFMG desde 2013. Sua tese de doutorado (PPGHIS/UFRJ 2011) recebeu o Prêmio de Pesquisa Anpuh-Rio Eulália Maria Lahmeyer Lobo 2012 e deu origem ao livro O corpo da Nova República: funerais presidenciais, representação histórica e imaginário político, vencedor do Prêmio Literário Biblioteca Nacional 2016 na modalidade Ensaio Social - Sérgio Buarque de Holanda. Sua dissertação de mestrado (PPGHIS/UFRJ 2006) foi a primeira colocada no Prêmio Arquivo Nacional de Pesquisa 2009 e publicada em 2012. 

Deixe seu comentário e sua avaliação


Características